O rádio, a política e os radialistas-candidatos
2016
Luiz Artur Ferraretto

Em reportagem de Anderson Sardoelli, do portal Comunique-se, leio que, nas eleições deste ano, 1.256 candidatos indicam “Locutor e comentarista de rádio e televisão e radialista” como profissão segundo o Tribunal Superior Eleitoral. Não é novidade que profissionais de microfone tentem um mandato eletivo. Em meados dos anos 1950, por exemplo, a Revista TV trazia um levantamento a respeito. Dos citados, provavelmente, o de maior sucesso na política tenha sido Cândido Norberto, que não alcançou o cargo pretendido, mas, tempos depois, chegaria à presidência da Assembleia Legislativa. Teve a carreira política, no entanto, interrompida pela ditadura militar que, em 1966, o incluiu entre os tantos políticos cassados à época.

Os radialistas-candidatos (1955)
Fonte: FÁVARO, Josué. O rádio fabrica deputados. Revista TV, Porto Alegre, ano 1, n. 6, p. 1, nov. 1955.

Os radialistas-candidatos (1955)
Fonte: FÁVARO, Josué. O rádio fabrica deputados. Revista TV, Porto Alegre, ano 1, n. 6, p. 16, nov. 1955.

Os radialistas-candidatos (1955)
Fonte: FÁVARO, Josué. O rádio fabrica deputados. Revista TV, Porto Alegre, ano 1, n. 6, p. 17, nov. 1955.

Nenhum comentário:

Postar um comentário