Cicero Augusto, da loteria esportiva à astrologia
2007
Luiz Artur Ferraretto

Programa Show da Loteria (outubro de 1974)
O comunicador Cicero Augusto conversa com a Miss Brasil 1974, Janete Hoeveler.
Fonte: Hoje, Porto Alegre, 1º nov. 1974. p. 28.

Hoje astrólogo de sucesso no centro do país, Cicero Augusto começa, nos anos 1970, a se destacar no rádio de Porto Alegre na onda de uma grande mania nacional. O programa Loteria de Sucessos é, na época, um dos carros-chefe da Farroupilha, que apresenta uma programação ainda eclética, mas já pendendo, majoritariamente, para o popular. Assim, em meados da década de 1970, passam pelo microfone da emissora, além de Cicero, profissionais como Aurélio Câmara, Dilamar Machado, Sayão Lobato, Teixeirinha e, até mesmo, o astrólogo Omar Cardoso, então famoso no rádio de São Paulo. Este último vai, no futuro, servir de inspiração para o então apresentador do Loteria de Sucessos.

Quando a programação começa a dar bons resultados, um curto-circuito provoca, no dia 12 de janeiro de 1974, um incêndio de grandes proporções nas instalações da rádio, ao lado do prédio da TV Piratini, no morro Santa Teresa. Todo o empenho dos funcionários em restabelecer a programação normal da emissora não vai resistir à decadência crescente dos Associados. O próprio Cicero Augusto, pouco depois, transfere-se para a Gaúcha, que arrisca pender para o rádio popular, nas indefinições próprias daqueles tempos.

A fórmula dos programas que conduz então é bem simples, misturando música com palpites sobre jogos de futebol. Na época, a loteria esportiva administrada pela Caixa Econômica Federal com base em 13 partidas faz milhares de pessoas em todo o país apostarem a cada semana. Inspirado em atrações semelhantes de emissoras do centro do país, o Loteria de Sucessos, das 14 às 17h, na estação dos Associados, coloca os ouvintes dando palpites para cada uma das partidas do concurso, ganhando prêmios os que acertam mais resultados. Além de músicas, há, também, entrevistas com personalidades que arriscam previsões sobre os jogos do final de semana. Ao se transferir para a Gaúcha em 1974, apresenta o Show da Loteria, de estilo idêntico e quase no mesmo horário, das 14 às 16h.

No entanto, na nova emissora, que não se define entre o jornalismo e o popular, Cicero Augusto vai enfrentar um sério problema, responsável pelo fracasso do programa. Conduzindo um programa líder de audiência na Farroupilha, de forte apelo junto à classe C, o comunicador, ao se transferir para a Gaúcha, é proibido de veicular músicas consideradas excessivamente populares pela gerência da rádio, o que reduz o público e leva à transferência do radialista para a Difusora.

Mas é na Farroupilha, mais tarde, que Cicero Augusto aproxima-se das coisas dos signos e dos astros:

– Foi por causa do Omar Cardoso. Ele esteve em Porto Alegre quase um mês fazendo o programa na Farroupilha. Eu fui apresentar junto com ele, porque não tinha quem apresentasse. E me interessei, foi me envolvendo. Um ano, um ano e meio depois, não tinha quem fizesse horóscopo. Nós inventamos um nome pra um astrólogo, que tinha que ter e começamos a fazer horóscopo a sério. Aí, quando eu saí da Farroupilha, passei eu mesmo a me identificar como autor das previsões, já na Rádio Caiçara.

Na mesma linha, o comunicador cria quadros ou programas como o Sexo do Bebê e a Magia dos Sonhos. Com o primeiro, em época pré-ecografia e outros avanços da tecnologia, chega a 60% da audiência do horário:

– Era um cálculo baseado no ciclo de fertilidade. O ciclo de ovulação da mulher ocorre sempre num período, que acompanha uma fase lunar. Tem uma série de pesquisas que eu fiz e achei um cálculo. Aperfeiçoei uma tabelinha e dá 97% de acerto.

Na mesma linha, algo esotérica, Cicero faz o Magia dos Sonhos, tipo de quadro também frequente no rádio popular. É o Sexo do Bebê, no entanto, que desperta o interesse da Rádio Mulher, primeiro prefixo do comunicador em São Paulo. Hoje, o astrólogo, além de continuar ao microfone, assina colunas em diversos jornais do país. Em todos, usa na forma de apresentar suas previsões a experiência de comunicador acumulada desde o final dos anos 1960, quando um desconhecido Cicero Augusto Holderbaum, aos 16 anos, iniciava sua carreira na Rádio Progresso, de Novo Hamburgo, no Vale do Rio dos Sinos.


Cicero Augusto
Entrevista realizada por Luiz Artur Ferraretto em 26 de maio de 2003.

Nenhum comentário:

Postar um comentário