Dia do Jornalista
7 de abril de 2017
Luiz Artur Ferraretto


Hoje é o Dia do Jornalista. Serve para que se reflita sobre dúvidas e certezas em relação ao fato, na transformação deste em notícia válida. Jornalista que coloca suas ideias e seus posicionamentos acima da realidade de um acontecimento ou da opinião de seu entrevistado presta um desserviço à sociedade. Há um conflito de interesse normalmente encoberto por este tipo de mau profissional.

Deve-se lembrar, no exercício do jornalismo, pelo menos, os limites entre os gêneros informativo o fato em si , interpretativo o fato no seu contexto , opinativo baseado em juízo embasado e utilitário o serviço prestado à população. Quem passa opinião travestida de informação aparenta ser jornalista, mas, de fato, não exerce esta função social. Normalmente, um raivoso de direita vai lembrar a liberdade de expressão no afã para justificar a sua defesa da ditadura, da sua homofobia, da sua aversão aos direitos humanos...

Jornalista de verdade, no entanto, media opiniões e não deveria fazer deste processo uma impositiva atitude sua. Normalmente, um raivoso de esquerda vai esbravejar contra tudo relacionado à profissão não dominada em sua técnica por ele e gritar que palavras como as desta postagem não passam de idealizações. Curiosamente, no mundo real ignorado por este sujeito, o ser humano vive justamente de idealizações. Nesta categoria, incluem-se todas as religiões, todas as ideologias e todos os sistemas econômicos.

Neste dia, que se reflita muito, sem querer ser promotor ou juiz, sobre os ideais da profissão e se auxilie, pela busca de um retrato o mais fiel possível da realidade, na construção de um futuro melhor, pelo menos com menos raivosos pelo caminho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário