Paulo Torino e o rádio com imagem
2019
Luiz Artur Ferraretto
Leonardo Melgarejo (pesquisa)

Em 8 de setembro de 1989, o jornal VS, de São Leopoldo, registrava uma iniciativa pioneira, hoje extremamente comum nas emissoras de todo o país: a transmissão de rádio associada ao vídeo. Isso, muito antes da internet ter chegado ao Brasil. A ideia partiu do professor Paulo Torino, então responsável por algumas das disciplinas de rádio do curso de Jornalismo da Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Como a Unisinos estava substituindo o equipamento de vídeo em preto e branco pelo colorido, Paulo e o técnico responsável pelo estúdio de televisão do curso, Liceu Piovesan, montaram um circuito fechado com os monitores antigos para passar os clipes das músicas da programação produzida no estúdio de rádio. Em paralelo, estruturaram uma emissora-laboratório de baixa potência dentro do campus, a Comunicação FM.
Jornal registra o uso do vídeo associado ao rádio (1989)
Fonte: VS, São Leopoldo, 8 set. 1989.

Além de monitores no saguão de entrada do prédio dos cursos de Comunicação, Piovesan colocou microfones e câmeras para fazer entrevistas diretamente dali, tudo conectado ao estúdio de rádio, com o locutor também aparecendo no vídeo.

A estética das imagens era bem despojada, diferente do que a televisão fazia, mas muito parecida com a proporcionada, décadas depois, pelas web cams.

Os alunos, voluntários, participavam de todo o processo de criação em um projeto que está na origem da emissora educativa operada pela Unisinos de 1995 até 2019.


Paulo Torino
Entrevista realizada por Leonardo Melgarejo em 20 de outubro de 2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário