Luiz Carlos Vergara Marques e o Turfe e Boa Música
2018
Luiz Artur Ferraretto

Luiz Carlos Vergara Marques (anos 1950)
Fonte: Acervo particular de José Braz de Oliveira.

A fala rápida e a dicção marcante vão eletrizar os amantes do turfe a cada irradiação comandada por Luiz Carlos Vergara Marques. É ele o responsável pela mais longeva e marcante atração dedicada ao esporte no rádio do Rio Grande do Sul. Trata-se do Turfe e Boa Música, que estreia em 1956 na Itaí, permanecendo, somente nessa emissora, por 17 anos.
O programa não se restringia à narração dos páreos nos hipódromos da Grande Porto Alegre. Conforme o volume 2 da obra Radiodifusão no RS, editada em 1993 pela Fundação Educacional Padre Landell de Moura:
Incluía passagens musicais, respingos de conhecimento geral, reportagens sobre turfe, além, é claro, de transmissões exclusivas páreo a páreo. Entre seus vários blocos, destacou-se o Telefone da barbada, que colocava o ouvinte em contato direto com as opções mais estimulantes de cada corrida. Para dar sustentação econômica ao projeto, Vergara fundou uma agência, a Vergara Marques Publicidade, passando a ter acesso a empresas que mais tarde lhe assegurariam outros empreendimentos. Turfe e Boa Música firmou-se em pouco tempo como uma importante fonte de divulgação do esporte das rédeas e tudo a ele relacionado. E firmou-se com tal vigor que, durante os 17 anos em que foi transmitido pela Itaí, legou à emissora a alcunha de Rádio do Turfe.
Nas décadas seguintes, Vergara Marques consolida-se como o principal radialista especializado em turfe do Rio Grande do Sul. Pelo seu trabalho, ganha prêmios inclusive fora do estado como os conferidos pela Associação dos Cronistas de Turfe de São Paulo, Jóquei Clube de São Paulo e Jóquei Clube Brasileiro. Seu programa, mantendo a denominação original, passa por diversas rádios. Em 1973, transfere-se para a Farroupilha. De 1974 até 1978, está na Princesa. Na Difusora, fica de 1978 a 1985. Passa por outras emissoras – Pampa, Capital, Sucesso e 1.120até 1992, quando sai do ar.
Em paralelo à cobertura nos hipódromos, Luiz Carlos Vergara trabalha durante 32 anos na Rádio da Universidade, chegando a dirigir a emissora educativa ligada à Universidade Federal do Rio Grande do Sul. O radialista faleceu em 24 de março de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário