Um sábado de medo no bairro Três Figueiras
2014
Luiz Artur Ferraretto


Noite de 3 de dezembro de 1988. Em frente à residência da rua João Bastian, a repórter especial do jornal Correio do Povo e em tese minha concorrente, Jussara Marchand, está impecável, de vestido, destes de sair à noite. À frente, o quadro de um assalto mal sucedido e com reféns que se estende desde o final da tarde deste sábado de calor em Porto Alegre. Não lembro se já passava da meia-noite, avançando madrugada de domingo como o meu plantão de sábado que deveria ter encerrado cinco, seis horas antes. Jornalistas de todos os veículos e meios possíveis estão ali, acompanhando o que acontece. A Rádio Gaúcha mantém-se em contato com os assaltantes com o telefone daquela casa, permanentemente, no ar. Exagera, pelos olhos de hoje, no seu papel de informar. Na época, quem cobre o assalto acha o máximo aquele arroubo de horas antes.

Lá pelas tantas, a polícia faz menção de se retirar para que os assaltantes saiam dali com os reféns. Corro para uma rampa na entrada de um jardim. São outros tempos e as grades e cercas eletrificadas ainda não tomaram as frentes das casas. Por todos os lados, à exceção da residência onde estão os reféns, janelas e portas fechadas. Há medo de tiroteio, que, felizmente, não acontece. Deitado no chão naquele declive a dar acesso a uma garagem, vejo que não fui o único a escolher ali como refúgio. Minha ex-chefe de uns dois anos antes, a Jussara, também está colada ao chão. E me conta, dando uma lição do que é a nossa profissão: “Estava saindo para jantar com um amigo quando ouvi a cobertura de vocês. Tive de vir para cá para auxiliar no trabalho do jornal”. Não foi a única profissional a fazê-lo como fica claro no relato do jornalista Flávio Dutra, que coordenava os trabalhos do Departamento de Esportes da Rádio Gaúcha naquela tarde de sábado. Nestes tempos de jornalismo algo burocrático, cheio de horários para isto e para aquilo, a descrição do Flávio serve de prova da dedicação, com seus erros e acertos, de dezenas de profissionais ao dever de informar.


Zero Hora descreve o assalto no bairro Três Figueiras (5 de dezembro de 1988)
Fonte: DUTRA, Flávio. A Rádio Gaúcha intermediou as negociações. No ar. Zero Hora, Porto Alegre, 5 dez. 1988. p. 46.

Nenhum comentário:

Postar um comentário