Alexandre Fetter e o Pretinho Básico
2008
Luiz Artur Ferraretto

Escrito pouco mais de um ano após a contratação de Alexandre Fetter pela Atlântida FM, este texto não foi atualizado em relação à versão original de 2008. Vale para medir os acertos e os equívocos de quase dez anos atrás.

Anúncio do Pretinho Básico (15 de maio de 2007)
Fonte: Zero Hora, Porto Alegre, 15 maio 2007. p. 48.

Entre as transferências de profissionais verificadas desde 2007, apenas uma teve real efeito em termos de audiência no rádio do Rio Grande do Sul. Como registrou o jornalista Célio Romais em mensagem de correio eletrônico, somente Alexandre Fetter, ao sair da Pop Rock para a Atlântida, conseguiu levar consigo uma quantidade significativa de ouvintes de forma a alterar o posicionamento das emissoras nos levantamentos do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística. De fato, o retorno de Fetter à principal estação musical jovem do Grupo RBS, após dez anos de trabalho na rádio ligada à Universidade Luterana do Brasil, teve um forte efeito em termos de audiência, não só em FM como em AM.

Ao criar o programa Pretinho Básico, atração que completou, em abril, um ano, Fetter levou da Pop Rock os comunicadores Cagê e Maurício Amaral, seus colegas do Cafezinho, então líder de audiência na faixa das 13 às 14h. A acirrada disputa entre as duas emissoras, tendo como catalisador o poder de mídia do Grupo RBS ao divulgar as suas novas contratações, pode ter induzido ainda a migração de ouvintes jovens de atrações como o Sala de Redação, da Gaúcha AM, e o Apito Final, da Band AM. Confirmada ou não esta hipótese, o certo é que o Pretinho Básico dá sequência a uma espécie de novo humor radiofônico, calcado em piadas e tiradas adolescentes, puro besteirol, mas com fortes efeitos sobre o público.

Nesta linha, a primeira grande experiência, ainda nos anos 1990, foi o Programa X, justamente com Alexandre Fetter no comando, inspirado então no sucesso de atrações como o Pânico, em sua versão da Jovem Pan FM, de São Paulo. Em 1998, Fetter, Mauro Borba e outros comunicadores da Pop Rock criaram o Cafezinho, de sucesso imediato. A estação dos 107.1 MHz, antes pouco conhecida, já se alçava com uma programação ao estilo da Rock & Pop, de Buenos Aires. Com o Cafezinho, passaria a ameaçar a todo-poderosa Atlântida FM, do Grupo RBS, e, mais do que isto, estaria à frente desta, várias vezes, em uma disputa acirrada ao longo dos anos. Com este histórico todo, a ida de Fetter para a Atlântida transfere, em março de 2007, a dor de cabeça e a preocupação dos executivos da RBS para os gestores da Ulbra.

Com a disputa, no entanto, quem saiu ganhando foi o ouvinte deste segmento, com respingos também no rádio dedicado ao formato Adulto Contemporâneo, por onde Fetter andou reformulando a Itapema FM, de Porto Alegre. Ganharam, aliás, os que se mantiveram fiéis à Pop Rock, emissora de Mauro Borba, Arthur de Farias e Carlos Couto. Ali, profissionais como Luciano Barth Lopes e Paulo Inchauspe ampliaram seus espaços, a eles se agregando recém-chegados como Bivis, o maior, no bom sentido, palhação do rádio gaúcho na atualidade, e o seu, por vezes, fiel escudeiro Oliver. Fora estes, a Pop Rock abriga profissionais experientes como Eron Dal Molin, Marcio Paz e Tadeu Malta. Este último, recentemente contratado para coordenar a programação da emissora e fazer frente à Atlântida. Provas de que, no segmento jovem, a transferência de Fetter ainda gera repercussões mesmo um ano depois de ter se efetivado. Sem dúvida, dá para afirmar que ele é, hoje, o mais popular comunicador jovem do estado. Para o ouvinte do Pretinho Básico, Fetter está, ainda, bem acompanhado ao lado de Cagê, L. Potter, Maurício Amaral, Piangers e Porã.


Pretinho Básico comemora 10 anos do programa (3 de abril de 2017)
Fonte: RÁDIO ATLÂNTIDA. Pretinho Básico. Edição das 13h. Porto Alegre, 3 abr. 2017. Programa de rádio.

Nos anos seguintes, a Pop Rock seria engolida pela crise na Universidade Luterana do Brasil, processo do qual só iria se recuperar mais recentemente, com a adesão da emissora à rede da Mix FM, de São Paulo. O Pretinho Básico atravessou os últimos 10 anos como o principal programa jovem do Sul do Brasil. Parte significativa dos resultados obtidos pela atração e pela emissora deve-se, obviamente, à gestão de Alexandre Fetter à frente da Atlântida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário