Dante Andreis e o Esportes na Onda da Rádio Caxias
2013
Marcell Bocchese
Professor do Centro de Comunicação da Universidade de Caxias do Sul

Dante Andreis (1951)
Fonte: SISTEMA TRÍDIO DE COMUNICAÇÃO. Rádio Caxias 50 anos. Caxias do Sul: Editora da UCS, 1996. p. 53.

Sem dúvida, a segunda metade da década de 1940 foi pródiga para Caxias do Sul. As boas notícias não se resumiam às provenientes do final da Segunda Guerra Mundial, que terminara um ano antes. Elas se referiam, também, ao surgimento da primeira emissora da região, a Rádio Caxias; à entrada no ar, em 1946, do Esportes na Onda, que chegaria ao século 21, firmando-se como o mais antigo programa do rádio esportivo do estado; e ao início de carreira daquele que se tornou o mais popular radialista da cidade, Dante Baptista Andreis. Três manchetes para a história da radiofonia caxiense.

Tinha 15 anos o então menino esguio que amava esportes, sobretudo o futebol, e que, como todo apaixonado pelo que faz, era o garoto mais informado sobre esporte amador da cidade, época em que o profissionalismo – principalmente, no futebol – ainda engatinhava, sonhava ser grande. Justamente a sua paixão pelo esporte fez com que Andreis pudesse ouvir, pelos então 250 watts da Rádio Caxias, textos seus lidos pelo jornalista Nestor José Gollo, criador do programa Esportes na Onda, palco de atuação de Dante. É de se imaginar o orgulho do jovem em ouvir o resultado de sua labuta na coleta dos placares dos jogos amadores da cidade e, principalmente, saber que seu trabalho estava indo ao ar juntamente com o de expoentes do radiojornalismo da cidade, como Jimmy Rodrigues, Osvaldo de Assis, Ernani Falcão, Nestor Rizzo, Mário Ramos e Vilson Marchioro, apenas para citar alguns nomes.

O Esportes na Onda foi o grande incentivador do esporte da região, não dedicando sua atenção apenas ao futebol, mas a todos os esportes praticados na época. O programa, a partir do Departamento de Esportes da emissora, ajudava o esporte local, organizando e promovendo, por exemplo, campeonatos de futebol, corridas de automóveis e até mesmo olimpíadas na cidade. Prova da importância do programa é que seu aniversário era marcado com eventos como a Parada dos Esportes, que agitava o esporte na cidade.
As opiniões finais do cronista e comentarista Dante Andreis no Esportes na Onda ficaram marcadas como o ponto alto do programa. A sua linguagem, simples, coloquial e direta – características típicas da linguagem do rádio e do estilo da crônica, portanto –, atingia os mais diversos públicos, expondo sua opinião por vezes contundente, falando sempre o que pensava no espaço Bola na Rede, título do comentário radiofônico, que aludia à frase do mais famoso bordão do radiojornalismo caxiense: "futebol é bola na rede", genial criação de Dante.

Sua vida foi dedicada ao radiojornalismo esportivo, onde defendia, de forma tenaz, o esporte local. Apesar de torcedor declarado do Esporte Clube Juventude, Dante também defendeu os interesses da Sociedade Recreativa e Esportiva Caixas do Sul. Era adorado, portanto, adorado por torcedores de um e de outro clube. Foi o último, e talvez o único, a unir duas torcidas em um momento ímpar de reverência logo após a sua morte. Em um estádio lotado, em plena disputa do clássico Ca-Ju, teve seu nome gritado por um coro composto por milhares de vozes de paixões opostas, mas com um mesmo intuito: homenagear o Bolão, como era conhecido Dante Baptista Andreis, até hoje o cronista esportivo mais autêntico da cidade.
Hoje, por força do destino, Dante já não mais é ouvido pelas ondas da Rádio Caxias, mas o Esportes na Onda, desde 1946, segue sendo palco de atuação de diversos jornalistas esportivos da cidade, valorizando e divulgando o esporte local, principalmente o futebol, que segue vivo e atuante na Caxias do Sul do século 21.

Dante Andreis explica como começou a trabalhar no Esportes na Onda

Dante Andreis conta como foi criado o mais famoso bordão do jornalismo esportivo caxiense
Trechos do documentário Futebol é bola na rede – A história de Dante Andreis (2008)
Produção dos alunos de Radiojornalismo 3 do curso de Jornalismo da Universidade de Caxias do Sul.
Locução: Marcelo Andrighetti e Naihobi Steinmetz
Produção: Camila Boff, Daniel Rodrigues, Marcelo Andrighetti, Marcelo Passarella e Naihobi Steinmetz.
Gravações originais do acervo da Rádio Caxias.
Pós-produção e edição final: Marcell Bocchese.
Professor responsável: Luiz Artur Ferraretto.
Gravado no Centro de Teledifusão Educativa da Universidade de Caxias do Sul, Rio Grande do Sul.
Fonte: Acervo particular.

Dante Andreis (1986)
O radialista relembra, no Esportes na Onda, vários momentos do rádio esportivo caixense, apresentando transmissões da Caxias das décadas de 1950 e 1960. O trecho de Nestor José Gollo narrando o jogo México e Suíça pela Copa do Mundo de 1950 é um dos únicos registros radiofônicos de emissoras do Rio Grande do Sul existentes daquele campeonato mundial de futebol.
Fonte: Acervo da Rádio Caxias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário