Luiz Carlos Reche e o esporte da Guaíba
 2015
Luiz Artur Ferraretto

Anúncio da Rádio Guaíba (1999)
Fonte: Correio do Povo, Porto Alegre, 31 mar. 1999. p. 17.

Da juventude em Lagoa Vermelha, onde, para ajudar no orçamento familiar, vendia pastéis de porta em porta no comércio da cidade, Luiz Carlos Reche vai carregar duas características pela vida afora: a obsessão pelo trabalho e a capacidade inata de negociar cotas de patrocínio. Embora, talvez, sejam menos conhecidas do grande público que o ataque constante à principal concorrente, a Gaúcha, estas são as bases do trabalho realizado por ele na Guaíba, levando-o de estagiário sem remuneração, apenas pela experiência, à chefia de Esportes.
Ao longo de quase três décadas em que permanece na emissora da rua Caldas Júnior, Reche desconstrói a imagem de austeridade excessiva que a Guaíba ainda carregava no final do século 20 e transforma a cobertura da rádio em algo mais alegre, mais popular e, em especial, mais competitivo, lançando, por exemplo, dezenas de promoções com brindes e envolvendo, deste modo, os ouvintes. Reúne, ainda, em torno de si uma equipe aguerrida que se acostuma às constantes cobranças do jornalista em relação à qualidade e ao ritmo de programas e de transmissões de jogos de futebol. Cobranças que não diminuem nem mesmo quando Luiz Carlos Reche está de folga. Nestas ocasiões, o chefe de Esportes fica com o ouvido colado no rádio, sintonizando ora na Guaíba, ora na concorrência, e conferindo, deste modo, a qualidade da informação repassada ao público. E dá-lhe mensagens por SMS para narradores, comentaristas, produtores e operadores de áudio...



Luiz Carlos Reche, com Edgard Schmidt, e o vencedor da promoção do Dia das Mães (13 de maio de 2009)

Fonte: Acervo particular.


Ao se transferir para o Grupo Bandeirantes em 2014, Luiz Carlos Reche deixa para trás a certeza de que, lembrando entrevista dada ao Correio do Povo quatro anos antes, a sua trajetória e a da emissora confundiam-se nas décadas anteriores. “A minha história é a Guaíba”, disse então. Com certeza, de 1985 até então, o jornalista mudou e valorizou a cobertura esportiva da emissora em dezenas de Campeonatos Gaúchos ou Brasileiros, Copas do Brasil, Libertadores da América e Copas do Mundo.


“A minha história é a Guaíba” (novembro de 2010)
Fonte: Correio do Povo, Porto Alegre, 5 nov. 2010, p. 32.

Nenhum comentário:

Postar um comentário