13/05/2013
Anos 1930
Em textos, fotos, entrevistas e documentos sonoros, recomeçamos a relembrar a história do rádio no Rio Grande do Sul, agora com o auxílio do estudante de Jornalismo Gustavo Monteiro Chagas. Chegamos, assim, aos anos 1930, quando o idealismo das sociedades e clubes vai sendo substituído pela lógica do lucro. É o início do rádio comercial. Tempos marcados, ainda, pela fundação da Difusora e da Farroupilha, em Porto Alegre, pelo uso político do rádio e pelos primeiros grandes sucessos das emissoras locais. Ganham os lares do Rio Grande os sons das dramatizações da dupla Pery e Estelita, na Farroupilha, e Roberto Lis, na Difusora. Os ouvintes divertem-se com os programas de pioneiros como Piratini – leia-se Pi-ra-TI-ni – e Duque de Antena. E há – é claro – a música: de virtuoses locais, como Paulo Coelho, aos grandes nomes da canção brasileira e internacional. Para ir criando o hábito, um pouco de humor e emoção na aba Um pouco de tudo.

Destaques da década
A Rádio Gaúcha e a Revolução de 1930
A Rádio Gaúcha e a Revolução Constitucionalista de 1932
Arthur Pizzoli e o início do rádio comercial
A inauguração da Rádio Difusora
A inauguração da Rádio Farroupilha
O Estado Novo e a Rádio Farroupilha
Pery e Estelita: o surgimento do radioteatro gaúcho
O casal que inspirou Chico Anysio
Radioteatro: quando o som cria imagens
70 anos do Teatro Farroupilha
Um pouco de sorte e muitas intenções positivas
Roberto Lis e os Serões da Dona Generosa
Duque de Antena, o nobre defensor do rádio
70 anos da Hora do Bicho, o primeiro programa de calouros do Rio Grande do Sul
Paulo Coelho, o mago da música dos anos 1930
Alto da Bronze: imaginário sonoro de uma praça querida, por Marcello Campos
A ESPM, de São Paulo, e a Rádio Sociedade do Rio Grande têm alguém em comum, por Willy Cesar
Estrangeiros daqui
Gardel, o tango e o rádio no Rio Grande do Sul


Nenhum comentário:

Postar um comentário