Anos 2000
O rádio do Rio Grande do Sul chega ao século 21, apostando na convergência e enfrentando os desafios colocados por um ambiente comunicacional cada vez mais conectado. Com o download de canções tornando-se prática comum, o segmento jovem perde espaço. Logo, começa a se dar conta da necessidade de apostar mais na conversa e menos na música. O jornalismo, apesar do alto custo, firma-se como algo urgente e o serviço ganha força. Marcado pelo carisma dos seus comunicadores, o rádio popular aproveita a ascensão da classe C ao consumo. Em todo segmento e em cada formato de programação, o meio convive com a internet e a utiliza – mesmo que alguns relutem em se convencer disto – para se expandir, englobando textos escritos, infográficos, fotografias e vídeos ao cotidiano dos profissionais e do público. Desta maneira, ao longo da primeira década do século, o rádio aproveita, usa as redes sociais como se estas sempre tivessem feito parte do dia a dia das emissoras.

Destaques da década

Radioweb, a maior agência de notícias para rádio do país
75 anos em um minuto
2002 e 2006: duas copas e quatro rádios
Rodrigo Koch, a Guaíba e a cobertura do esporte olímpico
Alguns causos de Armindo Antônio Ranzolin e Lauro Quadros
As mudanças no Correspondente Ipiranga, da Rádio Gaúcha 
A aposentadoria de Ranzolin, o principal narrador do rádio gaúcho
André Machado e o Gaúcha Atualidade
Daniel Scola e o terremoto no Chile
Rede Record compra rádios e TV Guaíba
E a galáxia foi para o espaço
Alexandre Fetter e o Pretinho Básico
Claudio Brito e o Gaúcha 19 Horas
FM: o grande lance da Gaúcha em 2008
Guerrilheiros da Notícia: o clube inglês de Flávio Alcaraz Gomes
Aos 80 anos, Flávio Alcaraz Gomes conta o que viu e viveu
Cláudio Monteiro e as novelas de rádio em tempos de internet

Nenhum comentário:

Postar um comentário